quarta-feira, 29 de junho de 2011

AVISO DA EQUIPE DO PROGRAMA CORETO




A equipe do Projeto Coreto avisa aos internautas interessados, que já encontra-se disponível a gravação do Programa Coreto do dia 25 de junho de 2011.

Para ouvir, basta acessar o blog coretojs.blogpot.com. Se não carregar automaticamente, basta clicar no botão play do player de áudio localizado no canto superior direito do referido blog.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

MÚSICA DE ARTISTA JARDINENSE ESTÁ NA GRANDE FINAL DO FORRAÇO DA INTERTV CABUGI

O compositor jardinense, Alexsandro Medeiros, mais conhecido como "Passarinho", após ter sua música classificada nas duas primeiras fases eliminatórias do FORRAÇO 2011, ocorridas nos dias 23 e 24 deste mês, em Natal, onde mais de 300 composições iniciaram a disputa do título este ano, está com sua canção: Esse é meu jeito, classificada para a grande final do concurso FORRAÇO da InterTV Cabugi. 

A música é interpretada pelo cantor Fernando Farias, filho do conhecido artista Alvimar Farias. A grande final acontece nesta terça-feira, dia 28 de junho, às 21h no estacionamento do Ginásio Nélio Dias, Zona Norte de Natal. Ao todo 15 músicas foram selecionadas para a última etapa do FORRAÇO. O concurso tem como objetivo principal, promover a revelação, proliferação e consagração nacional da música nordestina. Forró, xote, baião, enfim toda riqueza da música regional, luzes, suor e alegria, assim tem sido o clima do FORRAÇO.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

ERA UMA VEZ NA TERRA DA CONCEIÇÃO

A ONÇA PINTADA
(Zé Caetano – o contador de histórias)
Marcos Jardim ___________________________________________________________________________________

A televisão chegou acabando com as “bolandeiras” noturnas.

Ali, avizinhança reunia-se para passar a limpo a vida preguiçosa .

Lembro-me de uma delas, em frente à residência de Adonias, no Alto da Usina.

Eu era fã das histórias contatadas por Zé Caetano. Admirava o “jeito desleixado” dele contar os causos.

Tem a história do caçador de onça pintada queele incrementou da seguinte forma:

“Quando eu morava no sul, o bicho que tinha mais no terreiro lá de casa era a onça-pintada.”

Zé Caetano olhava de lado. Fazia uma longa pausa, cuspia a gorda de fumo, e avaliava se a “audiência” era suficiente para que ele encompridasse mais o relato.

“Eu vivia da venda de couro da bicha. Naqueles tempos, couro de onça não tinha muito valor, mas era um serviço maneiro”.

“Aprendi a tirar o couro sem judiar muito da danada. Fazia o trabalho todo usando apenas um canivete.

Eu pegava a onça no descuido.

Era assim: eu provocava a onça com uma vara curta, e na hora que ela armava o bote, eu pulava na ligeireza e peava as duas patas dianteiras dela. Depois que ela cansava de estrebuchar, agarrava a pintada pelas orelhas e só soltava depois que tava com o couro inteiriço na mão”.

Zé Caetano fazia mais uma pausa... tirava um canivete do bolso da camisa, pegava um bocado de fumo no bolso da calça e cortava um pedaço.

Depois de colocar a “péia” na boca, continuava falando ao mesmo tempo em que guardava os apetrechos numa demora infinita.

“A bichana dava cada miau que fazia medo”.

Zé dava outra cuspida, se ajeitando no tamborete e completava:

“Quando terminava o serviço, soltava a onça que saia correndo em carne viva.

Dois ou três meses depois, ela voltava com uma pele nova que dava gosto!.”

terça-feira, 21 de junho de 2011

EM PRIMEIRA MÃO! TRAILER DO FILME "O POÇO - UMA HISTÓRIA INSPIRADA EM RELATOS POPULARES" DE JOSÉ RICARDO E ANTÔNIO JÚNIOR (JUNHÃO) GRAVADO EM JARDIM DO SERIDÓ/RN

video

IMAGENS DO 3º DIA DE GRAVAÇÃO DO FILME "O POÇO - UMA HISTÓRIA INSPIRADA EM RELATOS POPULARES" EM JARDIM DO SERIDÓ









NA PONTA DA PENA DO CARCARÁ


VIDA À TOA

Marcos Jardim

A vida
Não tem preço

Risco a pressa: X
Um beijo: bis

Sem pé nem cabeça
Sem fim nem começo

Ao vento as tarraxas da ansiedade
Ao chão os cristais da vaidade

O que quero:
O avesso

sexta-feira, 17 de junho de 2011

JARDIM DO SERIDÓ/RN ESTÁ SENDO NOVAMENTE PALCO PARA A GRAVAÇÃO DE UM NOVO FILME











Depois do Filme “O Retorno” (ainda não lançado), gravado durante o mês de dezembro do ano de 2009, Jardim do Seridó/RN é palco novamente das gravações de outro curta metragem. Trata-se de um filme de gênero suspense/terror que está sendo rodado nas zonas rural e urbana da cidade.

O filme, que tem o título provisório de “O poço”, foi uma idealização do cinegrafista natural de Jardim do Seridó e que reside há mais de trinta anos em Brasília/DF, José Ricardo Silva dos Santos e tem a direção de Antônio Júnior (Junhão), além de contar com uma equipe de produção e elenco, composta pela família do cinegrafista e por jovens jardinenses.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

NO ÚLTIMO FINAL DE SEMANA DESTE MÊS ACONTECE O III JOÃO PEDRO EM JARDIM DO SERIDÓ

Jardim do Seridó vai sediar mais uma edição do Grande João Pedro do Seridó, que acontece na quinta-feira (30) e continua na sexta-feira (01) e no sábado (02). Na abertura do evento, às 19h, no Ginásio de Esportes Lavoisier Maia, encontro de quadrilhas da Zona Rural e Urbana.

A Prefeitura de Jardim do Seridó, que promove o evento adianta que na sexta-feira (01), acontece o encontro das quadrilhas estilizadas e a escolha do Rei e da Rainha do João Pedro. Às 22h, no Terreiro do Forró, em praça pública, festa com Paulo Cassiano. No último dia da festa, às 18h, Forró do Coreto na Praça Dr. José Augusto com Neto da Paraíba e trio Mandacaru. Às 22h, show com banda Ariaxé e na sequencia com a banda Feras.

Informações: marcosdantas.com

sexta-feira, 10 de junho de 2011

NA PONTA DA PENA DO CARCARÁ

AMOR SEM FIM
Marcos Jardim
____________________________________________________________________________________

Quando fizemos nossa aliança
Destemido eu logo me despi,
O que era de ouro reparti,
Dei por fim as batalhas da vingança!

Me entreguei sem vestígios de pujança
Nos anelos de teu reino me perdi.
Ao morrer na verdade renasci
Aos teus braços me entreguei feito criança.

Juntos, pisamos o vinho da cumplicidade
Esculpimos em pedra o que era sombra:
Vastos castelos de quimeras ou de verdades.

Vivo a passear dia e noite entre o jardim
Sem temer as serpentes da penumbra
Pois provei em teu cálice o Amor sem fim.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

PERSONALIDADES DA CULTURA JARDINENSE: BARTOLOMEU DOS ANJOS SALES – BARTHO

Bartho

O cantor e compositor Bartolomeu dos Anjos Sales, conhecido popularmente como Bartho, filho de Francisco Sales e Iraci dos Anjos Sales, nasceu no dia dois de fevereiro do ano de 1961, na cidade de Ouro Branco/RN.

Bartho entrou em contato com a arte musical logo nos seus primeiros anos de sua vida. Ouvindo sua mãe, que cantava na Igreja, seu pai que tocava gaita e violão, um tio tocava violão e outro que tocava violão e clarineta, aquele garoto passou a despertar em si mesmo uma consciência de pertencimento e identidade com a arte que transmitia e fazia aflorar sentimentos, através dos sons.

Com efeito, era comum Bartolomeu, quando criança, se juntar aos amigos de infância, e, a partir de materiais como: papelões e outras matérias-primas improvisadas, construírem “instrumentos musicais”, como, por exemplo, violões feitos de papelão com ligas de elástico e caixas de fósforos, para brincarem de músicos. Às vezes, queria tocar piano na água do rio, tentando captar e identificar as notas musicais produzidas com o som das águas batendo nas pedras. Juntamente com Orilo Segundo, seu irmão mais novo, faziam várias peripécias infantis relacionadas com a música. Bartho, a todo custo tentava fazer Orilo cantar em segunda voz, mesmo o irmão contando apenas com cinco anos de idade, ou, como em certa vez, quando  ao assistir um espetáculo de circo, se impressionou ao ver um homem executar músicas em garrafas cheias com água, ao chegar à sua casa, chamou o pequeno Segundo para juntar garrafas velhas no muro de sua casa para tentar reproduzir aquela “façanha” que havia visto no circo.

Bartolomeu inicia a sua carreira musical, com a participação em duas edições do concurso “A Mais Bela Voz do Sertão” promovido na cidade de Ouro Branco/RN. Na sua primeira participação, no ano de 1974, ele fica em segundo lugar, porém mesmo assim, o título fica em casa, pois a campeã foi  sua irmã Ângela Maria dos Anjos Sales, que, na edição seguinte do concurso, realizada no ano 1975, passou a faixa do concurso para o seu irmão Bartho, sagrando-o da “Mais Bela Voz do Sertão”, eliminatória de Ouro Branco.

No ano de 1978, mudou-se com a família para a cidade de Jardim do Seridó/RN. Lá chegando, devido a sua experiência como músico de igreja adquirida em sua cidade natal, foi convidado a assumir a difícil responsabilidade de substituir “Maria José Campos”, conhecida carinhosamente pelos seus amigos de “Neguinha”, no instrumento musical conhecido como “teclado harmônico”. Sobre este fato marcante em sua vida, lembra Bartolomeu: “Era o corpo de Neguinha sendo velado na Igreja Matriz, enquanto eu estava recebendo a primeira aula de teclado com Urbano Medeiros, no Santuário do Sagrado Coração de Jesus”.

Em 1982, foi convidado pela firma Medeiros S/A – Indústria e Comércio, para ser cantor e tecladista da banda Orange Som, pertencente à referida empresa, juntamente com Edmundo Alves, Nenen de Laura, Aldo (Conhecido como Nêgo), Duda, Titico, além das cantoras Selma e Terezinha. Embora naquele momento de sua vida o seu grande desejo fosse entrar para a vida monástica, para a  qual, inclusive, já estava se preparando, resolveu – por razões familiares – aceitar o convite, passando, a partir desse momento, a trabalhar também no setor pessoal da Empresa Medeiros.

Uma vez adentrando profissionalmente o mundo musical, Bartho não parou mais. Após a sua passagem pela Orange Som, o cantor ingressou em outras bandas: Raizes do Som (Jardim do Seridó-RN), Banda Mythos (Jardim do Serido-RN), Banda Paraíso (Carnaúba dos Dantas-Rbl), Banda Signos (Parelhas-RN), Banda Feras (Parelhas-RN), Banda Impossíveis (Natal-RN), Banda Tutti Frutti (Natal-RN), Banda Flor de Cactus (Feira de Santana - Bahia), Banda do Jô - do Riviera Bar e Restaurante - (Natal-RN), Banda Cowboys do Forró (Natal-RN), Banda Boneca de Pano (Natal-RN ) até o ano de 2000, tendo participado de excursões por diversos Estados brasileiros, como: Ceará, Pernambuco, Alagoas, Piauí, Bahia, além de ter feito apresentação individual no Rio Grande do Sul. Após essas atuações, fixou residência em Jardim do Seridó-RN. Foi também intérprete musical em diversos bares e casas noturnas como: Pizzaria Stop, Liverpool- Bar, - Restaurante e Boate, Riviera - Bar e Restaurante - Boulevard Café - Street Park - Barese, todas em Natal- RN e, em Fortaleza-CE, no Don Ki Chopp - Bar, Restaurante e Boate.

Banda Raízes do Som - Bartho: segundo da esquerda para a direita

Além de atuações nas bandas acima citadas, Bartolomeu participou como cantor principal e Back vocal em gravações para: Banda Cowboys (principal e back vocal), Banda Desejo (back vocal), Banda Café Torrado (back vocal), Banda Boneca de Pano (principal e back vocal), Banda Notáveis (back vocal), Banda Maculelê (back vocal), todas em Natal-RN. Recentemente (2011), atuou como participação especial no CD do Grupo Entre Amigos - de Jardim do Seridó-RN.

 Bartolomeu possui dois Cds trabalhados em parceria com o seu irmão maestro Orilo Segundo Dantas de Melo, regente da Banda Euterpe Jardinense, de Jardim do Seridó-RN, interpretando sucessos da Música Popular Brasileira, além de sucessos internacionais de compositores diversos. O segundo CD ainda aguarda lançamento.

Atualmente, compõe a dupla MPB CLASSIC, em parceria com o Maestro Orilo Segundo Dantas de Melo, desde o ano de 2000, além de participar da Orquestra de Frevos Euterpe Jardinense, em períodos carnavalescos. Realiza, na qualidade de intérprete, coberturas de eventos diversificados, tais como: Formaturas, Casamentos, Recepções Vips, Aniversários, Carnavais, etc.

Pensando em seu desenvolvimento profissional, Bartolomeu participou de várias capacitações na área musical, destacando-se a formação Profissional em Música, com o Curso de Teoria Musical, ministrado pela Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) - Conselho Regional do Estado do Rio Grande do Norte –, e  registrando-se como intérprete – com o gênero “cantor popular” – nesta instituição, em 20 de setembro do ano de 1994. Participou também do curso de Técnica Vocal, ministrado pelas professoras Fátima e Fabiana, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), no ano de 2003, na cidade de Caicó-RN.

Além de sua atuação na área musical, Bartho também é poeta e filósofo, sendo graduado no curso de Licenciatura Plena em Filosofia, pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Além de cantor e instrumentista (violão e teclado), Bartolomeu também é compositor. Em parceria com o irmão e maestro Orilo Segundo Dantas de Melo, o músico compôs vários hinos atribuídos a entidades municipais de Jardim do Seridó-RN, como: Hino do 1º Sesquicentenário da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição - Letra: Bartolomeu dos Anjos Sales - Melodia e Arranjos: Orilo Segundo Dantas de Melo; Hino do 1º Sesquicentenário de Emancipação Política do Município de Jardim do Seridó-RN- Letra: Bartolomeu dos Anjos Sales - Melodia e Arranjos: Orilo Segundo Dantas de Melo e Hino do 1º Centenário da Escola Estadual Antônio de Azevedo, de Jardim do Seridó-RN- Letra e Melodia: Bartolomeu dos Anjos Sales - Arranjos: Orilo Segundo Dantas de Melo.

Além de músico (cantor e instrumentista), compositor, poeta e filósofo, Bartolomeu dos Anjos Sales atualmente exerce a função de Diretor de Secretaria Legislativa da Câmara Municipal de jardim do Seridó.


Fontes:
Entrevista com Bartolomeu dos Anjos Sales, realizada no dia 01/06/2011.
Curriculo Musical de Bartolomeu dos Anjos Sales

quarta-feira, 8 de junho de 2011

SANFONEIRO AMAZAN É O NOVO ARTISTA DA CAMPANHA PUBLICITÁRIA DA NOVA SCHIN

       
                                     
 
 O pré-candidato a prefeito de Jardim do Seridó, Amazan é o mais novo garoto propaganda da cerveja Nova Schin. O filme Contradição é embalado por Amazan, sanfoneiro que aborda num tom bem humorado a conversa de alguns amigos em volta de uma mesa bebendo Nova Schin e onde um deles, o Bodão, está contando vantagem porque foi para a festa sozinho e deixou a namorada em casa. Porém, ele não contava com o Ricardinho, ou melhor, Ricardão, e é avisado por um dos amigos que a moça também está na festa, mas com o tal rapaz. Fechando o conto, o músico faz a brincadeira: "E vejam vocês que contradição / Pois na verdade o baixinho / Era o tal do Ricardão / Coitadinho do Bodão".  

Em outro arraial, Amazan agora narra o filme Zeca Facão. Bebendo sozinho sua Nova Schin, Pesão fica encantado por uma linda garota e a presenteia com uma flor, mas o romance é interrompido pelo pai dela, o coronel Zeca Facão, que não gosta nada da cena e vai logo dizendo pro rapaz: "Fio de u m jumento, se beijou a minha filha, vai ter que ter casamento". 

Na dúvida, Pesão nem titubeia e responde que vai casar sim. Mas o tal coronel não é tão bravo assim e emenda que o moço não precisa ficar preocupado, pois o casamento é da roça. O sanfoneiro fecha a história brincando com o rapaz: "Mas que susto, hein, seu Pesão". Em ambos os filmes, as cenas se transformam em um desenho típico das histórias de cordel e a locução em off termina com "Nova Schin, um cervejÃO". Os comerciais serão veiculados nacionalmente na TV Globo, além de regionalmente no SBT.

CLIQUE AQUI  e veja a campanha publicitária do Bodão
CLIQUE AQUI e veja a campanha publicitária Zeca Facão


Fonte: marcosdantas.com

domingo, 5 de junho de 2011

EQUIPE DO PROGRAMA CORETO DE JARDIM DO SERIDÓ FAZ COBERTURA DO 2º FESTIVAL MAESTRO FELINTO LÚCIO DANTAS EM SANTA CRUZ/RN

Camilo Henrique sendo entrevistado por Glaulo Espínola

Filarmônica 24 de Outubro - Cruzeta/RN

Filarmônica 24 de Outubro - Regência Bembém Dantas

Filarmônica Santana do Matos

Filarmônica Santana do Matos - Regência: Canindé Sena

Filarmônica de São Tomé - Regência: Paula

Filarmônica de São Tomé/RN

Filarmônicas: Onze de Dezembro e Maestro Felinto Lúcio Dantas -
Regência: Márcio Dantas e Neto de Pinta

Filarmônicas: Onze de Dezembro e Maestro Felinto Lúcio Dantas -
carnaúba dos Dantas/RN

Público lotando o Teatro Municipal Candinha Bezerra - Santa Cruz/RN

Público lotando o Teatro Municipal Candinha Bezerra - Santa Cruz/RN





Filarmônica Onze de Dezembro - Carnaúba dos Dantas/RN

Filarmônica Santana do Matos/RN

Filarmônica Maestro Felinto Lúcio Dantas - Acari/RN

Público Assitindo o evento pelo telão instalado a frente do Teatro

Filarmônica de São Tomé/RN

Filarmônica 24 de Outubro - Cruzeta/RN

Bandas Musicais Executando Juntas o Dobrado:
Relembrando o Maestro Felino Lúcio Dantas

Bandas Musicais Executando Juntas o Dobrado:
Relembrando o Maestro Felino Lúcio Dantas

Equipe do Projeto Coreto, Glauco Espínola - apresentador e produtor do Programa Coreto na Super Rádio Cabugi do Seridó -, Antônio Júnior (Junhão da Cultura) - Assessor Cultural do Projeto Coreto e responsável pelo blog Coreto e Adailton (Gata) - Responsável pela articulação entre as bandas musicais e o projeto Coreto -, estiveram ontem, dia 04 de junho de 2011, na cidade de Santa Cruz/RN, fazendo a cobertura do 2º Festival Maestro Felinto Lúcio Dantas, evento idealizado e organizado pelo maestro Camilo Henrique Dantas.

Uma verdadeira multidão lotou tanto o interior do Teatro Municipal Candinha Bezerra como a frente do mesmo, na qual foi instalado um telão e disponibilizadas cadeiras para àqueles que não conseguissem adentrar o  espaço cultural.

O festival de bandas musicais deu início com o desfile das bandas: 24 de Outubro da cidade Cruzeta/RN, Filarmônica de São Tomé, da cidade de São Tomé/RN, Filarmônica 11 de Dezembro, da cidade de Carnaúba dos Dantas/RN, Filarmônica Santana do Matos, da cidade de Santana do Matos, e a Filarmônica Maestro Felinto Lúcio Dantas, da cidade de Acari/RN. Cada uma partindo de um ponto distinto da cidade em direção ao Teatro Municipal, as bandas musicais abrilhantaram a noite santacruzense com as melodias e harmonias de seus dobrados.

No interior do teatro, as bandas sob as batutas dos maestros: Mácio Dantas, Neto de Pinta, Canindé Sena, Paula e Bembém, apresentaram composições e arranjos dos mais variados estilos musicais, sempre conquistando e recebendo o aplauso intenso do público que não arredava o pé um só instante do local.

Por fim, todas as bandas unidas dispostas à frente do Teatro Municipal Candinha Bezerra, executaram juntas, sobre a regência do maestro Márcio Dantas, o dobrado: Relembrando Felinto Lúcio Dantas, de autoria do referido maestro.

Está marcado para hoje, o segundo e último dia do 2º Festival Maestro Felinto Lúcio Dantas a participação das seguintes bandas: Banda de Música da Polícia Militar, Banda de Música Infanto-Juvenil de Brejinho,  Filarmônica de Monte Alegre e Recreio Caicoense.