terça-feira, 31 de janeiro de 2012

PERSONALIDADES DA CULTURA JARDINENSE: JANDUHY FINIZOLA – O DOUTOR DO BAIÃO




Janduhy Finizola da Cunha nasceu em Jardim do Seridó/RN, no dia 21 de abril de 1931. É filho de Manoel Orago da Cunha e Maria Finizola da Cunha e tem ascendência italiana. Estudou durante a sua infância na Escola Antônio de Azevedo, na qual concluiu o curso primário. Residiu durante a sua infância e adolescência na casa hoje pertencente à senhora Tilda Baltazar, ao lado da Igreja Matriz da cidade supracitada.

Durante a sua formação escolar Janduhy passou pelo Ginásio Diocesano de Caicó e Atheneu Norte Rio-grandense em Natal. Em 1951, prestou vestibular para a Faculdade de Medicina em Recife/PE, concluindo o seu curso no ano de 1957. Em seguida, no Rio de Janeiro, onde passou cerca de dois anos, fez especialização em aparelho digestivo. 

No ano de 1960 Dr. Janduhy passa a trabalhar no Hospital São Sebastião na cidade de Caruaru/PE, dedicando desde então trinta e dois anos de vida a referida casa de saúde. O mesmo também fixa residência naquela cidade na qual reside  até hoje, exercendo a medicina. Lá casou-se com vitória Tereza Gomes Finizola, e dessa União nasceram os filhos Janduhy e Januária.

A veia artística do compositor e poeta aflorou cedo. Ainda na adolescência publicou três livros de poesias, em 2004 publica "Oficina de Infinitos", posteriormente "Sementes" (2007) e em breve será publicado o seu mais novo livro no mesmo gênero literário.

 Na década de 1960 ingressa na área musical como compositor. É de sua autoria músicas como: Viração, Bananeira Mangará, Ana Maria, Canto Livre, Reflexões, Balanço Balanceá, Vida Viola, Raízes, Cantiga de Pai, Cidadão de Caruaru, Nova Jerusalém, Frei Damião, Cavalo Crioulo, Vivência e Na Corda do Feijão. A maior obra de Jandhuy considerada por muitos foi a “Missa do Vaqueiro” gravada pelo Quinteto Violado. Muitas dessas músicas fizeram e fazem muito sucesso interpretadas por grandes cantores e grupos músicais como: Dominguinhos, Santanna, Jorge de Altinho, Silvério Pessoa, Ruy Maurity, Jacinto Silva, Plínio Pacheco, Três do Nordeste, dentre outros.

Dentre as parcerias e amizades cultivadas através da música, uma é especial: Luiz Gonzaga, que posteriomente iria passar a chamá-lo pela alcunha de “Doutor do Baião”. A amizade com o músico pernambucano teve início a partir de um desejo do compositor jardinense radicado em Caruaru em ter uma música gravada por Luiz Gonzada, pois o mesmo considerava o Rei do Baião como seu ídolo musical, como conta o próprio Janduhy: 

Mas cadê que eu conseguia chegar perto dele? Eu estava com uma música pronta que era a cara dele. Uma noite em que eu ia ter a oportunidade de falar com Gonzaga, foi o meu plantão no hospital. De madrugada, fui acordado por um servente, avisando que Luiz Gonzaga estava ali, pensei que fosse uma brincadeira. Mas ele insistiu tanto que me levantei e fui ver se era verdade. Era Gonzaga, que foi logo perguntando, se eu era o doutor do baião". (JANDUHY FINIZOLA, 2012)

Foi o começo de uma parceria e de uma grande amizade. A partir daí, Luiz Gonzaga passou a interpretar diversas músicas de autoria do referido compositor jardinense.

Outras duas características marcantes em Janduhy Finizola é o amor pela cultura sertaneja e a sua fervorosa religiosidade católica, o que fez o mesmo se auto-definir como “católico, apostólico, sertanejo”. A prova disso é que todos os anos ele participa da Missa do Vaqueiro no interior pernambucano e de Romarias em Juazeiro do Norte/CE, pois é devoto do Padre Cícero Romão Batista.

Essa é a homenagem de Antônio Júnior (Junhão) e do blog Amigos da Cultura de Jardim do Seridó ao nosso ilustre artista Jandhuy Finizola, homem íntegro que através de sua vocação - a medicina - e de suas paixões - a música e poesia - contribuiu e contribui significativamente para o fortalecimento da identidade e da cidadania cultural do povo nordestino.


REFERÊNCIAS:

SILVA, Mílvia Araújo da (org.). História e Lendas de Nossa Terra. Jardim do Seridó/RN: SHM Informática, 2001. 83 p.

Jornal do Commercio - 24/6/2011

JANDUHY FINIZOLA. Disponível em: < http://www.janduhyfinizola.com.br>. Acessado em: 02 de outubro de 2009 às 12:15.

JANDUHY FINIZOLA. Disponível em: < http://www.onordeste.com/onordeste/ enciclopediaNordeste/index.php?titulo=Janduhy+Finizola&ltr=j&id_perso=1028 > Acessado em: 31 de janeiro de 2012 às 13:00.

JANDUHY FINIZOLA - UMA HISTÓRIA DE VIDA. Disponível em: < http://jornaldecaruaru.wordpress.com/2010/04/12/janduhy-finizola-uma-historia-de vida-comemora-79-anos/ > Acessado em: 29 de janeiro de 2012 às 18:00.

OS COMPOSITORES DO BRASIL. Disponível em: < http://everaldofarias. blogspot.com/2011/06/os-compositores-do-brasil-39.html > Acessado em: 30 de janeiro de 2012 às 22:30.

11 comentários:

  1. Gilberto Valdeger (Betão)2 de fevereiro de 2012 05:10

    Parabéns Junhão pela iniciativa, de divulgar para quem não conhece os valores que nós temos mundo afora, tive o prazer de conhece-lo através do meu pai (Chiquinho de Chagas) de quem era amigo no momento presentiei-lhe com um cd do Samba Só e recebi do mesmo um cd autografado com as principais músicas de sua autoria gravada por vários cantores do nosso nordeste. PARABÉNSSSSSSS

    ResponderExcluir
  2. J. Ricardo Silva - Brasília/DF3 de fevereiro de 2012 15:05

    Isto que é um intercâmbio cultural, parabens a esta cidade de Jardim do seridó que é um berço da cultura brasileira.

    ResponderExcluir
  3. Caro "Junhão", Boa tarde!
    Você merece mesmo muitos parabéns! E muito obrigado por nos deixar mais bem informados sobre a vida deste ilustre conterrâneo!
    Abraços, Carlos Fernandes

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Junhão você muito dignifica nossa Jardim do Seridó! São de pessoas assim que estamos necessitando para difundir nossa cultura.

    Ariston Medeiros da Silva.

    ResponderExcluir
  5. Leticia Finizola9 de maio de 2012 16:16

    legal essa micro briografia do meu pai... vou mostrar a ele...
    só avisando painho teve mais 3 filhos fora os 2 jah citados, de 2 casamentos posteriores...
    e no próximo dia 12 será lançado aqui em Caruaru o cd de composições dele chamado verso e verdade, e o seu terceiro livro entitulado espaço da palavra.

    ResponderExcluir
  6. Caro Junhão, como prima-irmã de Janduhy e filha de pais seridoenses, vho agradecer-lhe a homenagem prestada ao compositor e poeta agraciado.
    Aproveito tb para informar-lhe do sucesso do lançamento do CD "Verso Verdade" e do seu livro "Espaço da Palavra" os quais tive a felicidade de assistir "in loco" no Teatro "João Lyra" em Caruaru/PE e ver a platéia presente de pé cantando "Ana Maria" e "Cavalo Crioulo" interpretadas pelo próprio autor, Janduhy e Onildo Almeida, interpréte de "Cidadão de Caruaru". Foi um show apoteótico, digno de um seridoense.
    Mais uma vez, meus sinceros agradecimentos em nome dos Finizola.
    Aldenora

    ResponderExcluir
  7. Falar de Janduy Filisola, é falar de cultura, homem de bem; muito amigo do meu pai Manoel Modesto Dantas ( in memorian ); quando Jardim em seus primeiros passos rumo ao crescimento econômico, juntos implantaram o primeiro posto de combustíveis ao lado do hotel de Dona Chiquinha/Praça Dr. José Augusto; onde abasteceu e forneceu peças para automóveis durante muitos anos a sociedade jardinenses e ciclo vizinhos.Saudosa memória.
    Marcelo de Medeiros Dantas ( Filho de Manoel Modesto Dantas )

    ResponderExcluir
  8. Parabéns, Junhão, pelo resgate biográfico do Dr. Jandhuy.
    Porém, deves corrigir algiumas palavras, por digitação, e lembrar que Recife e Caruaru são no estado de Pernambuco (PE) e não na Paraíba (PB).
    Kydelmir Dantas
    Nova Floresta - PB / Mossoró - RN

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Kydelmir, suas indicações já foram devidamente corrigidas.

      Excluir
  9. Como sertanejo de Serra Talhada, do sertão central de Pernambuco, nascido entre serrotes, quixabeiras, marmeleiros, juazeiros, catigueiras, umbuzeiros entre outras. Ainda jovem ouvir a música JESUS SERTANEJ0 e de imediato vi ali uma definição única do sertão... AS PEDRAS RESPLANDEM A DUREZA A PROBREZA DESTE CHÃO, João um menino destino ai nordestino de arribação. Os anos se passaram e dia desses conversa com Frei Nunes sobre a letra dessa música, o quanto ela define como ninguém o sertão nordestino; o sertanejo, no entanto, não sabia de quem era a autoria e hoje buscando na internet obtive essa resposta. Só um homem temente a Deus, de boa formação e sertanejo poderia criar uma obra prima dessa. A Música Popular Brasileira, na minha humilde opinião, é o que existe de mais rico na nossa cultura e o Dr. Jandhuy, sem dúvidas, faz parte da história da nossa MPB.
    Joaquim Pereira- Recife - PE.

    ResponderExcluir
  10. Junhão, grato por sua dedicação e entusiasmo das coisas Nordestinas.Sou de Aracaju-SE e te dou os meus parabéns por suas divulgações.O Nordeste merece por sua cultura, sua terra , sua gente e por você.Abraços e muito obrigado, Lisbôa.

    ResponderExcluir